[ editar artigo]

8 dicas do que verificar no carro antes de vender

8 dicas do que verificar no carro antes de vender

Eu conheço muitas histórias de vendas de carros usados, e geralmente o vendedor, seja um particular ou um profissional da área, se vangloria por ter conseguido enganar o comprador em alguma coisa. Essa é uma triste realidade do mercado, e como ninguém gosta de ser enganado, acaba sendo uma das maiores objeções para comprar carros usados. 

Mas mesmo quem foge disso e opta por comprar um carro zero-quilômetro, um dia vai ter que revendê-lo. No momento que deixa de ser comprador para ser vendedor, pode escolher o caminho da verdade e fazer uma venda justa e saudável, ou então agir como a maioria, e ser apenas mais um tentando ocultar ou mentir sobre um problema que sabe que o carro que está vendendo possa ter. 

Se você escolheu o primeiro caminho, parabéns, tenho certeza que essa é a decisão correta.

Aqui vão algumas dicas para verificar no carro antes de vender para alguém: 

  • Documentação 

Quando estou procurando um carro usado, não me interesso por aqueles com pendências financeiras. Claro que simples multas de trânsitos podem ser negociadas no preço do carro, mas atrasos em IPVA e licenciamento sugerem que o dono está com dificuldades financeiras que podem se estender para uma possível falta de manutenção no carro. Sendo assim, recomendo que pendências financeiras sejam solucionadas antes do anúncio do carro. 

  • Pneus 

Os pneus sempre chamam atenção e podem ser decisivos no momento em que um interessado estiver comparando seu carro com outros. Se estiverem muito desgastados, próximos do fim da vida, vale a pena investir em um novo jogo de compostos. O custo pode ser facilmente revertido no valor final do carro. A opção de dar um desconto no preço do veículo também é válida, mas automóveis nessas condições despertam menos interesse do comprador. 

  • Funilaria e pintura 

Outro ponto de destaque e que merece ser observado por quem pretende vender um carro é o estado geral da carroceria. Podemos conviver com ralados e amassados, mas no momento que decidimos encontrar um comprador para o carro, é evidente que esses detalhes precisam ser reparados. Antes de tudo, é bom pedir para um bom profissional avaliar o que precisa ser feito, pois às vezes um simples polimento ou serviço de martelinho podem resolver. Caso a repintura seja inevitável, se atente ao resultado final para que não tenha diferença de cor entre as peças. 

  • Mecânica 

Para quem mantém as revisões do carro em dia e sempre opta pela manutenção preventiva ao invés da corretiva, não há muito com o que se preocupar. Os reparos mecânicos serão apenas pontuais e certamente mais baratos. O problema é quando os reparos se acumulam e a conta para resolvê-los fica tão alta que passa a ser improvável ter retorno financeiro com o valor do carro. De qualquer forma, vale a pena solucioná-los antes da venda e ter a tranquilidade de que nenhum comprador ficará retornando para reclamar de algo que quebrou. 

  • Ar-condicionado 

Não queira anunciar um carro no qual o ar-condicionado não esteja funcionando. Isso afasta compradores por ser uma compra no escuro. Como comprador, eu desisto na hora, pois não vou ter como saber se o problema é simples e barato, ou complexo e caro. Nesse caso, é sempre melhor escolher por outro carro que esteja com o sistema do ar-condicionado em pleno funcionamento. Recomendo que o vendedor assuma esse reparo, mesmo que o custo seja alto. 

  • Vidros 

É bem comum pegar uma pedra na estrada que trinque o para-brisa. Muitos optam por conviver com isso, mas além de perigoso é um item que reprova nas vistorias de transferência. Portanto, é importante que o vendedor cuide desse reparo antes da venda. Se o carro estiver segurado, é ainda mais fácil, pois basta pagar uma pequena franquia para esse reparo. O mesmo se aplica para retrovisores, faróis e lanternas, peças geralmente cobertas pelas seguradoras. 

  • Estofamento 

É imprescindível que o estofamento do carro esteja limpo, e o melhor resultado é conseguido com profissionais que trabalham com estética automotiva. O investimento nesse serviço compensa, pois o comprador ficará com a impressão de estar comprando um veículo usado com cara de novo. Caso o estofamento esteja com alguma parte bem desgastada ou rasgada, vale a pena procurar um tapeceiro. Nem sempre é preciso trocar tudo, por vezes o reparo pode ser pontual e consequentemente mais barato. Em relação ao volante, não faz sentido vender com desgastes, já que o custo de reparo é muito baixo. Em modelos que não são revestidos com couro é possível substituir a base. Para aqueles revestidos com couro, basta a simples substituição do revestimento. 

  • Acabamento 

Peças de acabamento nem sempre são baratas, mas às vezes o reparo pode ser feito de maneira artesanal pelo vendedor. Por exemplo, é comum encontrar carros usados com os difusores da ventilação quebrados, mas às vezes estão apenas com as peças móveis desencaixadas. Com um pouco de habilidade e paciência, esse reparo pode ser feito com custo zero. Mesmo que a peça tenha que ser substituída, ainda existe a alternativa de comprar uma peça de marca paralela, bem mais barata que a original. Certamente, o resultado final é melhor do que deixar quebrado. 

Gostou do conteúdo? Espero que te ajude!

E você costuma levar o que em consideração?

Auto Masters
Felipe Carvalho
Felipe Carvalho Seguir

Apaixonado por carros desde sempre, em 2012 decidi trabalhar com essa paixão. Hoje eu ajudo pessoas a perderem o medo de comprar carro usado, procurando e avaliando as melhores opções.

Ler conteúdo completo
Indicados para você