[ editar artigo]

Você sabe como funciona o sistema de sincronismo do motor e a importância da troca da Correia e Tensor juntos?

Você sabe como funciona o sistema de sincronismo do motor e a importância da troca da Correia e Tensor juntos?

 

Apesar de alguns fabricantes de veículos não concordarem, as principais marcas de correias dentadas e tensores recomendam a troca preventiva completa do sistema de sincronismo do motor. Entenda o porquê:

Leia também: Geometria da Suspensão e Direção

Funcionamento do Sistema

Peças internas de motores a combustão precisam trabalhar com a precisão de um relógio. Por milhares de vezes a cada minuto, as válvulas de admissão e exaustão têm que abrir e fechar no tempo certo enquanto os pistões sobem e descem movimentados pela força das explosões dentro dos cilindros. A coordenação desse movimento depende do perfeito sincronismo do sistema de distribuição mecânica, que transmite o movimento do virabrequim (eixo sobre o qual os pistões estão montados) para cabeçote através do comando de válvulas.

Para isso, alguns motores de veículos leves utilizam corrente, mas a maioria hoje em produção faz uso do sistema de sincronismo com correia dentada, ou correia de sincronismo, com a utilização de um tensor.

Leia também: Como apagar erros do ABS sem scanner

O tensor de correia dentada, também chamado por alguns de tensionador da correia dentada, é uma peça em formato de rolamento com furo excêntrico que possui como principal função manter a tensão da correia dentada no nível recomenda pelo fabricante do motor.

Garantir o bom funcionamento do tensionador é tão importante quanto garantir a vida útil da correia dentada. Isso porque, um tensor defeituoso pode trazer mais problemas do que uma simples manutenção do motor. Com a falta de manutenção, poderá haver o atropelamento de pistões e válvulas o que pode levar a reparos tão custosos, que podem sair até mais caros do que um motor novo na concessionária!

Divergências sobre a manutenção preventiva do sistema

Embora alguns fabricantes de veículos tenham visões diferentes, as principais marcas de correias dentadas e tensores recomendam que a substituição dos componentes seja feita de forma conjunta.

A importância do diagnóstico e substituição destes componentes de sincronismo levou o Comitê Brasileiro Automotivo (ABNT) a estabelecer a norma ABNT 15.759, cujo texto está em vigor desde 16 de julho de 2011, e estabelece que se o veículo atingiu a quilometragem para a substituição da correia dentada, conforme especificado no manual de reparo do fabricante do veículo, os demais componentes do sistema devem ser substituídos de forma preventiva, independentemente da condição.  

No entanto, mesmo com a existência da norma, profissionais do segmento automotivo ainda discutem se há ou não a necessidade da substituição de todo o sistema. Fabricantes como a General Motors (Chevrolet) e Stellantis (Fiat, Jeep, Peugeot, Citroën, RAM, entre outras), afirmam não ser necessária a substituição dos demais componentes do sistema de sincronismo do motor, além da correia dentada, se o mecânico não identificar anomalias no tensor durante a inspeção visual, que deve ocorrer a cada 20 ou 30 mil km.

Importante ressaltar que as marcas Peugeot e Citroën saem da recomendação da Stellantis e possuem detalhes próprios nesse quesito, assim como outras montadoras, como é o caso da Renault, outra marca de origem francesa, que recomenda a substituição do tensor no mesmo período da correia em todas as condições.

Recomendações finais

Agora você deve estar se perguntando...Ok, com todas essas informações divergentes, qual a maneira correta de proceder com a manutenção preventiva deste sistema?

E a minha orientação é: “ Sempre troque correia dentada e tensor juntos!”, e vou justificar o porquê:

Primeiro porque o diagnóstico 100% confiável do tensor só é possível em laboratório, ou seja, muitas vezes os profissionais podem ser enganados pela “boa aparência” do tensor quando na verdade ele já não desempenha mais seu papel de forma satisfatória. Ademais o custo para a troca do tensor é infinitamente mais baixo do que o prejuízo que ele pode causar caso haja um problema com o sincronismo do motor, sem contar que provavelmente o custo da mão de obra será o mesmo, visto que trocando ou não o tensor, o profissional mecânico terá o mesmo trabalho com a desmontagem e montagem da correia dentada.

Então não se esqueça, seja você mecânico ou cliente, exija sempre a troca da correia dentada e do tensor de forma conjunta.

 

Espero que estas dicas lhe sejam úteis!

Nos vemos em breve com mais dicas!

Texto por: Paula Mascari

Auto Masters
Paula Mascari
Paula Mascari Seguir

⚖️Advogada, mas larguei tudo para seguir meu sonho! 🚘Dona de um #voyageturbo que eu montei!

Ler conteúdo completo
Indicados para você